ADEUS PRIVACIDADE!


Qualquer pessoa faz isso todos os dias: esquecer senha bancária, cartão no caixa eletrônico, chave na porta de casa - tudo isso faz parte de um gesto sem maiores consequências, praticamente normal. Preocupante é quando essas atitudes viram rotina, podendo indicar possibilidade de doença. A melhor coisa a fazer, então, é procurar ajuda médica, sem preocupar-se com a chance de ser considerado lelé da cuca.
Encontrei no consultório de um psiquiatra alguém que viaja uma vez por mês para consultar-se em São Paulo. Ela me contou que não vai a psiquiatra no Recife para não ser taxada de maluca. Como se Recife fosse uma província, onde a vida privada é motivo de deboche.
No caso do idoso não há essa preocupação. Aumenta dia a dia a preocupação com os cuidados a esse tipo de sobrevivente. A velhice está se tornando tão comum que vem exigindo das famílias cuidados especiais, desde a contratação de cuidadores que se revezam 24 horas por dia até a internação em uma casa especializada nesse tipo de acompanhamento.
O difícil é saber o que dá mais despesa.  Além de preocupar-se com a educação dos filhos, a família tem também de se voltar para os cuidados com os idosos, cuja população aumenta cada vez mais, quem sabe devido à melhoria das condições de alimentação e de vida. Melhor informada, parte da população adota costumes mais saudáveis, alimentação balanceada, cuida-se cada vez melhor, etc., daí talvez a vida mais prolongada.  
Ao mesmo tempo em que proliferam gigantescas diversões prejudiciais à saúde, grandes shows ao ar-livre durante vários dias e aventuras supostamente esportivas, o número de instituições e sociedades dedicadas a promoções relacionadas com a terceira idade também aumenta. Crescem lojas de produtos para animais (pet shoppings), farmácias, e casas de repouso.
O maior problema é que usar essas instituições tem um custo muito alto. No Estado de S. Paulo a entrega de um idoso a uma delas não sai por menos de R$ 5 mil por mês e em alguns casos passam de R$ 10 mil. Só famílias de alta renda podem oferecer a seus velhinhos a tais comodidades. O mais comum é contratar cuidadores, que se revezam na residência da família, cobrando diárias R$ 150 reais, mais condução. O inconveniente número um é a invasão nas intimidades da família. O cuidador ajuda o idoso em tudo: dá banho, veste, até acessa conta bancária quando necessário. Adeus privacidade!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ETERNO CANDIDATO

SINAL DOS TEMPOS

MINHAS CENAS INESQUECÍVEIS