CHORA, CHORONAS, CHORA!



Ouvir chorinho é usufruir bons sentimentos, exercitar o sentido do prazer e proporcionar bons momentos ao espírito.
O novo disco das Choronas dá tudo isso e algo mais, ao juntar a sonoridade do violão (Paola Picherzky), do cavaquinho (Ana Claudia Cesar), das flautas (Maicira Trevisan) e da percussão (Miriam Capua). Cada instrumento tem suas características, mas se valorizarem individualmente, brilham também em combinações criativas, conforme a melodia.
Começando com uma versão diferente de “Tico Tico no Fubá”, de Zequinha de Abreu, o disco prossegue com “Atlântico”, de Ernesto Nazaré, e “Só vendo que beleza”, de Henricão, para em seguida inovar com “Choro de Domingo”, de Macira Trevisan. Ana Claudia também participa como autora, contribuindo com “Choronas em Sampa”, que conta com a participação de Oswaldinho da Cuíca. Outra surpresa é a faixa “Sorridente”, composição de autoria do violonista Ruy Weber, que nos deixou precocemente.
Destaque especial para o aproveitamento de duas músicas de Armando Neves, “O dono da bola” e “Pinheirada”, extraídas de dois discos solo em que Paola explora a obra desse grande compositor e violonista paulistano. Com esses discos, originados de uma tese de doutorado na UNESP, Paola chegou a ser premiada por seu empenho na pesquisa em que levantou toda a obra do grande violonista da TV Record.
Novidade no novo disco da Choronas é a faixa do consagrado “Trem das Onze”, de Adoniram Barbosa. Era absolutamente necessária, devido aos insistentes pedidos em todos os shows realizados pelo conjunto nos últimos  anos. Atenção para o lindo diálogo entre flauta e violão, para qualquer um chorar.
O trabalho das Choronas, lançado no dia de aniversário de São Paulo, 25 de Janeiro, conta com a distribuição nacional da Tratore.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ETERNO CANDIDATO

SINAL DOS TEMPOS

MINHAS CENAS INESQUECÍVEIS