POESIA DE FREDERICO SÉRGIO

O psiquiatra Frederico Sérgio Moreira da Rocha é um médico pernambucano que migrou para o Rio de Janeiro em 1963, onde se ligou desde então aos médicos Isnard Teixeira, Niroden Eder, Mauro Lins e Silva e Hirun Santana, entre outros. Sonhava com o marxismo, que aprendera no Recife com seus ídolos David Capistrano Costa, Hiram de Lima Pereira, Amaro Valentim e Irineu Ferreira, principalmente. Antes de mudar para o Rio já colaborava com suplementos literários e antologias, nos quais publicava crônicas e poemas. Em 2009 reuniu alguns trabalhos no livro "Se-moventes Ver sóis em tempo de lua Poemas e Crônicas Lágrimas Olhar sobre 1964 e outros Textos”. Sim, é este mesmo o título. Ele não é louco – é somente um psiquiatra, daqueles que falam pelo cotovelo. Como não sou crítico literário, disponibilizo o último poema de Frederico Sérgio na esperança de que alguém faça comentário pertinente. 

E AGORA...?

FREDERICO SÉRGIO
Uma avenida se torna possível
Global
Em visão cósmica
Nosso planeta existe
Com a estrela sol e a lua nas noites
Assim existimos
Pode acontecer
Uma ONU assumir
Políticas e Economias Culturas e nações
Um grande abraço global
China e saxônicos
Todos com ascendência grega
Baianos e Troianos
E Mama África

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ETERNO CANDIDATO

SINAL DOS TEMPOS

MINHAS CENAS INESQUECÍVEIS