OS GATINHOS DE LOYOLA



Não sei o que levou Ignácio de Loyola Brandão a dedicar todo o nobre espaço da última página do Caderno 2 do Estadão a seus gatos. Pode ter sido falta de assunto. É verdade que ele não se refere a qualquer felino, ao contrário, são animais que receberam o nome de Tom, Chico e Marieta, obviamente em homenagem a Jobim, Buarque e Severo, mãe dos Buarque de Holanda. Os gatos foram e são tão importantes e educados que um deles queria morrer mas esperou pacientemente que o dono voltasse de uma viagem. A partir daí o escritor da ABL – Academia Brasileira de Letras descreve as peripécias dos animaizinhos como todo mundo costuma relatar, em geral comparando-os aos humanos.
Posso também dar meu depoimento: um sobrinho passou a dormir no chão, ao lado do cachorro, a partir do dia em que ele deixou de subir a escada, por fraqueza ou excesso de peso, para dormir no quarto do 1° andar, ao lado da cama do seu dono. Há um ano meu sobrinho faz isso. Nenhum veterinário o convence de sacrificar o animal.
Suponho que o escritor quis entrar na onda de valorização dos animais domésticos, nesses tempos em que o ser humano anda tão desmoralizado pela Lava Jato e operações assemelhadas. Todo dia alguém escreve nas redes sociais que os animais domésticos são mais honestos, fiés, sinceros e amorosos que os brutamontes que nos cercam no trabalho ou no transporte coletivo. A sucessão de crimes está aí para comprovar. Vários programas de televisão se dedicam diariamente ao assunto.
Quem sabe Loyola esteja usando de um artifício, ou seja, em tempos bicudos é melhor escrever sobre gato do que sobre a cachorrada que tem sido as discussões em torno dos destinos do país. O cidadão de bem, como Loyola, se vê na obrigação de tergiversar, recomendando o riso como solução, conforme intitulou um de seus últimos livros: “Se for pra chorar que seja de alegria”, da Global Editora. Resultado: nem um ser humano da maior importância – e morreram tantos nos últimos dias - mereceu necrológio tão sofisticado, feito por um escritor de 46 livros.   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ETERNO CANDIDATO

SINAL DOS TEMPOS

MINHAS CENAS INESQUECÍVEIS