SAI BIOGRAFIA DE CAIO PRADO JÚNIOR


                             

Acaba de sair “Caio Prado Júnior – Uma biografia política”, de autoria do professor Luiz Bernardo Pericás. O livro relata com precisão a trajetória política de um dos mais importantes autores brasileiros, que estudou e divulgou o marxismo-leninismo através de aulas, conferências e livros.
Uma das constatações dessa trajetória é a comprovação ao vivo e em cores de tudo o que ele tentava escrever e demonstrar em suas teorias. Caio nunca se limitou à leitura. Saía pessoalmente pelo Nordeste, pela União Soviética, onde quer que precisasse sentir a paisagem, o clima e a temperatura em que viviam as pessoas, para analisar o modo de vida e os costumes em diferentes regiões. Qual São Tomé, andava com gravador e máquina fotográfica para investigar  in loco as situações mais diferentes e não se conformava com as respostas, digerindo-as à sua maneira.
Conta a lenda que as viagens ao Nordeste teriam sensibilizado o estudante de 18 anos, filho da aristocracia paulistana. Outra versão conta que ele teria se chocado com o episódio da queda de um trabalhador de um bonde.
“Ninguém veio em seu auxílio. Na hora, Caíto se deu conta de que se aquilo tivesse ocorrido com ele, um membro da elite local, muitos transeuntes viriam imediatamente socorrê-lo”, conta Pericás, que acredita ter sido este um dos fatores que originaram o interesse de Caio pelo Socialismo. Daí também o seu rompimento com sua classe e sua entrada no Partido Comunista, enfrentando perseguições e prisões. Tudo indica que a explicação é por demais simplista. Ao longo de sua carreira, Caio expõe exaustivamente suas razões em dezenas de livros. Sua editora, a Brasiliense, transforma-se na mais eficiente divulgadora das ideias socialistas, publicando não apenas os livros dele, mas também uma série de coleções, como Primeiros Passos. Fundou a gráfica Urupês e a revista Brasiliense. Seu braço direito nesses empreendimentos e o filho Caio Graco Prado, que foi preso com ele incontáveis vezes por causa do trabalho de disseminação de ideias consideradas subversivas.

O que mais impressiona no compêndio da Boitempo, que acaba de ser lançado com modesta tiragem de 3.000 exemplares, é a riqueza de detalhes, com amplas informações sobre a vida, a obra e a trajetória de Caio Prado Júnior. 

PS - O livro é fartamente ilustrado. Só não tem esta foto de 1962 em que apareço ao lado de Caio Prado Júnior na Praça José Marti, Havana. Ao fundo, Fidel Castro discursando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ETERNO CANDIDATO

SINAL DOS TEMPOS

MINHAS CENAS INESQUECÍVEIS